Table Mountain via trilha Skeleton Gorge – Cape Town

Tempo de leitura: 8 minutos

Tempo: 4h00 (subida) → 1h30 até o lago +/- 30 min no lago + 1h20 até o topo + 40min até Cableway
Grau de dificuldade (fôlego): Moderado (trilha bem longa)
Grau de dificuldade (técnica e exposição à altura): Leve
Vista e paisagem: ★★★★★
Avaliação da trilha: ★★★★
Altitude: 1.085m
Onde a trilha começa: Jardim Botânico Kirstenbosch
Custo: $$$$$ Entrada no Jardim Botânico (cerca de R60)

Tipo de Trilha: Caminhada e subida em mata fechada, subida entre pedras com escalaminhada nível leve, subida em escada de madeira, trecho de areia, caminhada entre rochas e depois região plana.
Pontos de Água:
Levar água o suficiente. Há um riacho e uma quedinha d’água no início da trilha (beba por sua conta em risco, eu bebi). Depois uma fonte de água e lanchonete apenas no final, na chegada ao Cableway.
Precisa de guia ou tour? É sempre melhor ir com alguém que já conhece. Mas a trilha é bem marcada, mapas pelo caminho, tem sempre bastante gente e dá pra ir por conta.
O que levar: Água, lanche, agasalho (pode ventar gelado no topo de montanhas), celular ou câmera fotográfica, documentos.
Como chegar: O ônibus urbano (MyCiTi Bus) não vai até lá. Ônibus Turístico (City SightseeingMini Peninsula Tour – linha azul). Uber direto pra Kirstenbosch, mas sai mais caro. Pra economizar, a opção é pegar o trem até a estação de Claremont e chamar o Uber a partir de lá.
Veja mais em Como se Locomover em Cape TownVale a Pena Gastar com o City Sightseeing de Cape Town?
Dicas: Vá cedo para aproveitar ao menos 1h30 ou 2h no Jardim Botânico antes de começar a subir. E não compensa ir e voltar pela mesma trilha, aproveite a loja de souvenirs e lanchonete e desça pelo Cableway (teleférico) ou pela Platteklip Gorge (1h de descida). Lá em cima, basta se guiar pelas placas, ou mesmo pelo Google Maps de seu celular (lembre-se de ter um SIM Card local e pacote de internet).

Imagem: Google Maps / Edição: ADO – Clique para ampliar.

Leva mais tempo do que o estipulado pelo Google Maps pois não é uma caminhada simples, trilhas aumentam essa média.


Para ter acesso ao início da trilha é necessário entrar no Jardim Botânico de Kirstenbosch antes. De lá, seguir as placas para Skeleton Gorge, ou conferir o caminho através do Google Maps.

A trilha é uma coisa de outro mundo, num momento você está num Jardim Botânico maravilhoso aos pés da lateral da montanha, em seguida subindo uma trilha na mata fechada na beira de um riacho, depois atravessando areia como quem estivesse na praia e, de repente, surge um lago imenso à sua frente.

Foto: Jardim Botânico de Kirstenbosch – Rafael Ferreira – Cidade do Cabo, África do Sul

O primeiro trecho é em mata fechada com um riacho correndo logo ao lado da trilha. Vale a pena sair do caminho, descer o barranco e se refrescar antes de continuar.

Foto: Rafael Ferreira, Cidade do Cabo – África do Sul
Foto: ADO, Cidade do Cabo – África do Sul

Mais adiante tem uma quedinha d’água no caminho, seguida de uma subida de escalaminhada em pedras e escadas de madeira.

Foto: Rafael Ferreira, Cidade do Cabo – África do Sul
Foto: Rafael Ferreira, Cidade do Cabo – África do Sul

O ponto forte dessa trilha é sem sombra de dúvidas o lago. Na verdade não é um lago, mas um reservatório utilizado para captar água da chuva. Existem vários no alto da Table Mountain e este é o Hely-hutchinson Reservoir. Mesmo artificial, surpreende por nos depararmos com ele no alto de uma montanha (mesmo sabendo que ele estaria ali). Também por suas cores exóticas, uma variação de tons indescritível, do ferrugem, passando pelo púrpura ao azul escuro.
Para chegar nele, é necessário fazer um pequeno desvio na trilha e depois voltar a ela pra seguir em frente. Confira no mapa acima.

Foto: ADO – Table Mountain, Cidade do Cabo, África do Sul
Foto: ADO – Table Mountain, Cidade do Cabo, África do Sul

As Cores do Lago

Hely-hutchinson Reservoir é um dos cinco reservatórios criados no topo da Table Mountain no final do século XIX e início do século XX. Construído em 1904, comporta 924 mega litros de água e foi nomeado em homenagem ao Sir Walter Hely-Hutchinson, o último governador da Colônia do Cabo.

É um agrado à vista observar cores tão vivas, num degradê tão contrastante, quando encontramos o lago artificial na montanha. Mas o que dá essas cores ao lago? Algas, bactérias, metais?

Plantas! É difícil encontrar informações oficiais, mas o que se diz é que essa cor marrom coca-cola, ou ferrugem, é causada pelos taninos que vem das raízes dos Fynbos, uma planta nativa sul-africana que inclusive floresce o Jardim Botânico na primavera e exala um perfume característico, leia mais. E o púrpura seria o resultado da transição de cores do azul ao vermelho (contido no marrom).

Foto: ADO, Cidade do Cabo – África do Sul

E não para por aí, isso é só o começo da trilha. Ela é bem longa, pois não começa aos pés da “mesa”, mas do outro lado da cidade, na lateral oposta da montanha. Quando se atinge o alto ainda tem muita, muita caminhada pra chegar ao topo.

No caminho, temos uma vista linda de um pedacinho dos 12 Apóstolos de cima! Os mesmos que vemos em Camp’s Bay, vistos do alto da montanha. Também podemos contemplar toda a Cidade do Cabo e subúrbios, diferente da vista dos outros picos que são pra região central e pro mar.

Foto: Rafael Ferreira, Cidade do Cabo – África do Sul

E depois é preciso atravessar a montanha para chegar ao Cableway ou a outras trilhas. O que é uma experiência e tanto, cruzar a Table Mountain pelo topo.


Maclear’s Beacon

A Skeleton Gorge começa no Jardim Botânico e  vai até o lago. Como podem ver no mapa, são vários lagos (que na verdade são reservatórios) e várias trilhas no alto da Table Mountain. Não há um caminho único para chegar ao Cableway ou pra descer. Mas, além de ser o mais curto, vale a pena ir pela trilha que passa pelo Maclear’s Beacon, que é a trilha marcada no mapa acima.

Foto: ADO – Maclear’s Beacon

Sim, é o topo da Table Mountain! Quem vai querer atravessá-la e não marcar presença aí? Leia mais sobre o Maclear’s Beacon.


Passando o Maclear’s Beacon, uma sugestão é fazer um pequeno desvio e seguir pela trilha de fora, como marcado no mapa acima. É só retornar alguns metros à última bifurcação e ir por baixo. Não é muito mais longa do que a trilha que continua diretamente do Maclear’s Beacon, mas ela beira toda a frente da montanha (Front Table).

A caminhada segue exatamente a linha da “mesa”, da esquerda pra direita na vista tradicional da montanha (Devil’s Peak a Cableway), ou de leste a oeste, bem na beiradinha mesmo. E é simplesmente sensacional estar ali!

Foto: ADO, Cidade do Cabo – África do Sul
Foto: Rafael Ferreira, Cidade do Cabo – África do Sul

Estamos tão acostumados a ver a vista por fotos, ou lá de baixo a montanha abraçando a Cidade do Cabo. Caminhar pela beira da Table Mountain observando a Lion’s Head, a Signal Hill, a cidade, o estádio de futebol (da Copa do Mundo de 2010), o mar e Waterfront nessa perspectiva é como estar no topo do mundo.

Foto: Rafael Ferreira, Cidade do Cabo – África do Sul

É ou não é muito pra uma trilha só? Por essas e outras que considero a subida à Table Mountain, via Skeleton Gorge e travessia no alto, uma trilha imperdível de se fazer em Cape Town e bucket list pra qualquer trilheiro.

Estar no alto de uma das 7 maravilhas do mundo, uma sensação indescritível!


Não deixe de ler o artigo 13 Coisas que Todo Trilheiro Deve Saber com as dicas essenciais pra evitar perrengues e fazer da sua caminhada um passeio prazeroso.

Confira o artigo sobre a Table Mountain.

Veja outras trilhas e mapas da Table Mountain.


Procurando um bom Hostel em Cape Town?

Foto Destacada: ADO, Cidade do Cabo – África do Sul

Related Images:

Deixe uma resposta

Booking.com